Palavra do Dia por Priberam

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Os avarentos...




Os avarentos não crêem numa vida futura, o presente é tudo para eles. Essa reflexão lança uma luz horrível sobre a época atual, onde, mais que em qualquer outro tempo, o dinheiro domina as leis, a política e os costumes. Instituições, livros, homens e doutrinas, tudo conspira para minar a crença numa vida futura, sobre a qual se apóia o edifício social há 1800 anos. Hoje em dia, o esquife é uma transição pouco temida. O futuro, que nos esperava para além do réquiem, transportou-se para o presente. Chegar per faz et nefas* ao paraíso terrestre do luxo e dos prazeres vãos, petrificar o coração e macerar o corpo em busca de posses passageiras, outrora se sofria o martírio da vida em busca de bens eternos, eis a idéia geral! Idéia aliás inscrita por toda parte, até nas leis, que perguntam ao legislador: “Que pagas?”, ao invés de: “Que pensas?” quando essa doutrina tiver passado da burguesia ao povo, que será do país?

*Pelo lícito e pelo ilícito (N. do T.)

Trecho de Eungênia Grandet de Honoré de Balzac

Fulvio Machado Faria

2 comentários:

  1. primoroso texto jovem escriba... verdades... tristes verdades...

    ResponderExcluir
  2. belo texto concordo plenamente! é nois abraço

    ResponderExcluir

Leitores:

Pesquisar este blog